Logotipo OMI JPIC

Justiça, Paz e Integridade da Criação

Oblatos Missionários de Maria Imaculada  Província dos Estados Unidos

Logotipo da OMI
Notícias
Traduza esta página:

Notícias recentes

news feed

Arquivos de notícias


Vídeo e áudio mais recentes

Mais vídeo e áudio>

Alerta de ação oblíqua de JPIC: Protesto contra o assassinato de indígenas na Amazônia

10 de junho de 2009

AÇÃO URGENTE NECESSÁRIA!

dsc_0357Massacre Policial de Manifestantes Indígenas na Amazônia Peruana está vinculado ao Acordo de Livre Comércio EUA-Peru

No último final de semana, confrontos na Amazônia peruana entre manifestantes indígenas não-violentos e policiais deixaram mais de 60 pessoas mortas. Como muitos como o povo indígena 30,000 tem protestado por quase dois meses, uma série de decretos presidenciais foi emitida no ano passado sob a lei de implementação do ALC EUA-Peru. Vários desses decretos ameaçam diretamente os territórios e direitos indígenas.

Por favor, clique aqui para tomar medidas para dizer ao Presidente Obama que estamos indignados com o massacre de protestantes indígenas pacíficos no Peru que está diretamente ligado ao Acordo de Livre Comércio.

No último mês de abril, 41 párocos Oblatos da região emitiram um comunicado intitulado “Protegendo e respeitando a Amazônia, protegemos os indígenas”. Os padres falaram diretamente sobre “o aumento da injustiça social e da destruição ecológica que ameaça a própria existência de comunidades indígenas e camponesas que estão sendo despojadas de suas terras”.

Declaração completa disponível neste site.

Detalhes do Massacre:

dsc_0487Na madrugada de sexta-feira, junho 5, 600 polícia peruana em helicópteros e a pé abriram fogo contra milhares de manifestantes indígenas pacíficos bloqueando uma estrada perto de Bagua, na Amazônia peruana. Estimativas conservadoras indicam que os indígenas e policiais da 60 foram mortos. A polícia é acusada de queimar corpos indígenas, jogá-los no rio e retirar feridos do hospital para esconder o número real de feridos.

Por dois meses, mais de 30,000 indígenas sustentaram protestos não violentos ao longo das estradas e cursos d'água da Amazônia. Estes protestos foram em resposta a uma série de decretos presidenciais emitidos ao abrigo das leis de implementação dos ACL EUA-Peru. Esses decretos violam os direitos indígenas e abrem o caminho para uma expansão sem precedentes de novas operações transnacionais de petróleo, mineração, extração de madeira e monoculturas na floresta amazônica.

Na recente IV Cúpula Continental de Povos Indígenas em Puno, Peru, líderes dos Indígenas Amazônicos do Peru pediram solidariedade internacional para salvaguardar a Amazônia. 72% dele já está sob concessão para exploração e extração de petróleo. A Amazônia peruana desempenha um papel fundamental na salvaguarda do clima global e deve ser protegida.

Esta semana, autoridades peruanas se reunirão com o USTR em Washington para discussões sobre a implementação do TLC. Precisamos enviar uma forte mensagem ao nosso governo de que estamos com os povos indígenas da Amazônia peruana e rejeitamos o assassinato e a destruição que as atuais políticas de livre comércio dos EUA promovem. Mexa-se agora.

Voltar ao Topo